Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Bolsonaro quer guerra civil- ” meu exército é o povo”

Em discurso para centenas de fiéis evangélicos na 28ª Marcha para Jesus em Curitiba,neste sábado (21/05)  o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), voltou a dizer que “só Deus” o tira da cadeira que ocupa e reforçou: “nosso exército é o povo brasileiro”.

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL)  também declarou, na última  segunda-feira (25), que “só Deus” o tira da “cadeira” de presidente da República.

“Eu jamais esperava ser presidente da República. Já que aconteceu, entendo que é uma missão de Deus. A Ele eu agradeço a minha vida e essa missão. E reforçar aqui: só Deus me tira daquela cadeira”, declarou Bolsonaro durante a abertura da Agrishow, em Ribeirão Preto (SP).

“Só Deus” o tira da “cadeira” de presidente “. Ninguém está ameaçando a permanencia de Bolsonaro durante seu atual mandato. O próximo mandato ele terá que vencer as eleições. Fora disso é golpe e ditadura.

O que o presidente quer dizer?
Que ele só entrega o cargo se ele morrer?

ou será que ele admite que a vitória de seu adversário seria a “vontade de Deus?”

Quado ele diz. “o meu exercito é o povo.”
O que ele quer dizer?
Ele quer seus adeptos nas ruas, armados, defendendo a permanência dele no cargo? Ele está incitando uma guerra civil?

Se o país está dividido entre ele e o outro candidato, o que ele chama de povo, é apenas os 30% ou menos que ainda o apoia.

Ele pensa ser um ser iluminado por Deus, como um Messías, um indicado por DEUS, e por isso, para ele o resultado da eleição que não seja sua permanência, não vale, ” é fraude”.

Essa não é uma postura de um estadista e sim de um ditador, ou débil mental.