Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Bolsonaro usa tragédia das enchentes na Bahia para criticar isolamento na contenção do vírus

Bolsonaro usa a tragédia das enchentes na Bahia para criticar as medidas de isolamento usadas por prefeitos e governadores na fase mais mortal da pandemia, quando as restrições foram necessárias para impedir o aumento de mortes.

“O governo é sensível a esse problema. A gente pede a colaboração de todos para que se supere esse problema e também não destruamos a economia em nome de seja lá o que for. Apesar de respeitarmos e entendermos a gravidade que esse vírus tenha proporcionado ao Brasil.”

“Esses fenômenos naturais infelizmente acontecem. Questão de responsabilidade, não sabemos bem definir a quem cabe”, afirmou Bolsonaro. “O governo federal tem feito seu trabalho desde o início e dando satisfação. Não é o caso de apontarmos os responsáveis por isso ou aquilo.”

A declaração foi dada pouco depois de o ministro da Cidadania, João Roma, pedir para que a tragédia não fosse usada na “disputa política e ideológica”.

Segundo a Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia, foram 5 mortes e 175 feridos na região. Estima-se que os alagamentos prejudiquem quase 70 mil brasileiros, com 6.472 desalojados e 3.744 desabrigados

Pudemos ver os estragos causados pela chuva. Alguns municípios estão bastante afetados, como Itamaraju, por exemplo. Quando soubemos do ocorrido, além de contatar os prefeitos, providenciamos a liberação do FGTS”,

NÃO FOI BONDADE DELE LIBERAR O FGTS. A LEI DIZ QUE TODA CIDADE EM CALAMIDADE PÚBLICA, TEM O FGTS LIBERADO. ELE FAZ CAMPANHA ELEITORAL, COMO SE TIVESSE FEITO ALGUM FAVOR BENEVOLENTE.