Braga Neto deve responder pelo seu crime de amaçar a democracia

O ministro da Defesa, general Braga Netto, negou nesta quinta-feira que tenha feito ameças às eleições em 2022, conforme mostrou reportagem publicada nesta quinta-feira pelo jornal ‘O Estado de S. Paulo’. O general também afirmou que a discussão e a decisão acerca do voto impresso cabem exclusivamente ao Congresso Nacional, onde tramita uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) sobre o tema.Doenças raras: Pesquisa mostra dificuldades com o diagnóstico

A AMEAÇA DO GENERAL BRAGA NETO, FOI CLARA, INCLUSIVE ACOMPANHADO DOS COMANDANTES DAS TRÊS FORÇAS. O QUE ELE FEZ FOI CRIME.  AMEAÇAR AS ELEIÇÕES É AGIR CONTRA A CONSTITUIÇÃO, CONTRA A DEMOCRACIA E AO ESTADO DE DIREITO.

 

O principal lacaio do bolsonarismo no Exército, general Braga Neto, teria afirmado que só haverá eleição se o voto impresso for aprovado. Precisamos saber se disse isso mesmo e se fala em nome das Forças Armadas ou apenas do governo. Vamos interpelá-lo no STF”, disse o presidente do Psol, Juliano Medeiros, em suas redes sociais.