Chuvas em Minas Gerais – 129 municípios declaram situação de emergência

As chuvas intermitentes continuam causando prejuízos e transtornos em Minas Gerais, onde 129 dos 853 municípios declararam situação de emergência devido aos estragos que à força das águas causou à infraestrutural local.

Entre a noite de sexta-feira (6) e a manhã de hoje (7), a Defesa Civil estadual registrou ocorrências de destaque em ao menos seis cidades mineiras: Piranga; Astolfo Dutra; Cataguases; Perdões; Senador José Bento e Guiricema.

Em Piranga, choveu, em 12 horas, o equivalente a 130 mm, o que causou alagamentos, danos materiais diversos que ainda estão sendo contabilizados e a suspensão parcial do abastecimento de água, além de deixar 86 pessoas desabrigadas e 33 desalojadas. Em Astolfo Dutra, as águas do Rio Pomba e Paraopeba subiram de forma abrupta, transbordando e alagando vários pontos da cidade.

Em Ouro Preto, na região central do estado, onde também chove há dias, a Defesa Civil municipal contabilizou 313 áreas de risco. Esta manhã, um deslizamento de terras no Morro da Forca, no centro da cidade, motivou os órgãos municipais a interditar as ruas próximas. Não houve feridos.

Em janeiro de 2022, o mesmo local foi palco de um deslizamento de terras que atingiu dois casarões históricos e forçou a evacuação de um hotel próximo. Após isso, a prefeitura contratou uma empresa para fazer o retaludamento do morro, que desde novembro vinha sendo monitorado por drones para que os técnicos da prefeitura definissem a necessidade de novas intervenções de segurança.

Desde o início do período de chuvas, em meados de setembro de 2022, ao menos 14 pessoas morreram em acidentes relacionados aos temporais em Minas Gerais. Segundo balanço que a Defesa Civil estadual divulgou hoje, 1.754 pessoas foram, em algum momento, desabrigadas – ou seja, tiveram que ser alojadas em abrigos públicos por não ter para onde ir. Mais 7.602 pessoas estão desalojadas, ou seja, tiveram que ir provisoriamente para as residências de amigos, parentes, hotéis ou pensões.

Até a manhã de sexta-feira, o número de desabrigados chegava a 1.622. O de desalojados era de 7.563. O total de pessoas que já puderam retornar aos seus lares não foi contabilizado.

Os óbitos registrados ocorreram em Antônio Dias (4); Grão Mogol (2); Piraúba; Bom Jesus do Galho; Santa Luzia; Vespasiano; Bertópolis; Inhapim; Presidente Bernardes e Governador Valadares.

De acordo com a Defesa Civil estadual, a previsão é que continue chovendo por todo o fim de semana em todo o estado. A intensidade da precipitação pluviométrica deve variar entre fraca e moderada, mas de forma persistente, podendo ocasionar deslizamentos de encostas onde o solo já esteja saturado e o aumento gradativo do nível de rios e reservatórios. A Defesa Civil nacional também alertou, hoje, que Minas Gerais, junto com os estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo, em alta probabilidade de enxurradas, alagamentos, inundações e deslizamentos de terra.