Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

O CINISMO DE LULA – CONDUÇÃO COERCITIVA FOI NECESSÁRIA

“Dizer que ‘Lula sempre se colocou à disposição para prestar esclarecimentos’, como seus aliados e ele próprio(!) estão fazendo em jornais e TVs, é o auge do cinismo petista.

Lula manobrou, amarelou, apelou e fez de tudo mais para evitar seu depoimento ao promotor Cássio Conserino, do MP de São Paulo, conseguindo até habeas corpus para não ser conduzido!

O juiz Sérgio Moro não seria bobo de dar margem para que ele fizesse o mesmo no âmbito da Lava Jato, até porque os indícios são robustos e Lula tinha de ser levado para depor como o seria qualquer cidadão brasileiro sem foro privilegiado na mesma situação.”

FELIPE MOURA/VEJA

 

Ao expedir os mandados de busca e apreensão da 24ª fase da Lava Jato, Sérgio Moro fez constar que o mandado de condução coercitiva só deveria ser utilizado caso o ex-presidente se recusasse a acompanhar a PF espontaneamente. O juiz ainda afirmou que “em hipótese alguma”, Lula deveria ser algemado ou filmado durante o processo.

O delegado afirmou que não seria possível fazer a oitiva ali por questões de segurança, e que havia um local preparado para o ato, no aeroporto de Congonhas.

O delegado da Polícia Federal (PF) Luciano Flores, que conduziu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para prestar depoimento a investigadores da Operação Lava Jato, informou ao juiz Sérgio Moro neste domingo (6) que Lula disse que só sairia do apartamento algemado

“Naquele momento, foi dito por ele [Lula] que não sairia daquele local, a menos que fosse algemado. Disse ainda que se eu quisesse colher as declarações dele, teria de ser ali” relatou Luciano Flores.

“Disse ainda que, caso ele se recusasse a nos acompanhar naquele momento para o Aeroporto de Congonhas, eu teria que dar cumprimento ao mandado de condução coercitiva que estava portando, momento em que lhe dei ciência de tal mandado”, explicou Luciano Flores.

O delegado disse que, então, Lula entrou em contato telefônico com o advogado Roberto Teixeira, relatando a situação. “Logo depois de ouvir as orientações do referido advogado, o ex-Presidente disse que iria trocar de roupa e que nos acompanharia para prestar as declarações”, relatou.

Fonte:G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.