Cloroquina recomendada por Bolsonaro causa distúrbios psiquiátricos

A agência de medicamentos da União Europeia (EMA) alertou que o uso de cloroquina ou hidroxicloroquina está associado ao risco de distúrbios psiquiátricos e comportamentos suicidas.

A declaração está em um comunicado divulgado pelo comitê de segurança da EMA na última sexta-feira (27), após uma revisão de todos os dados disponíveis sobre os remédios. Tradicionalmente empregados no tratamento de malária e lúpus, os medicamentos chegaram a ser uma esperança contra a COVID-19, mas estudos científicos descartaram sua eficácia no combate à doença.

“A revisão havia sido iniciada em maio de 2020, após a EMA ter sido informada pela Agência de Medicamentos da Espanha sobre seis casos de desordens psiquiátricas em pacientes com COVID-19 que haviam recebido doses de hidroxicloroquina acima do autorizado”, diz o comunicado.

A agência não permite o uso dos dois remédios para tratar da COVID-19 e ainda lembra que estudos clínicos de larga escala não mostraram “nenhum efeito benéfico” em sua utilização contra a doença. “Já se sabe que a cloroquina e a hidroxicloroquina, mesmo utilizadas em doses aprovadas para indicações autorizadas, podem causar um amplo espectro de transtornos psiquiátricos. (…)