Com o desembarque do Centrão, o impeachment será feito

Dirigentes da base bolsonarista falam com desembaraço da possibilidade de um desembarque caso a situação do presidente não melhore até março do ano que vem.

Se a economia continuar a piorar e se  a popularidade de Bolsonaro continuar a cair,  ( essa é a tendência), o impeachment de Bolsonaro acontece.

O Centrão não vai continuar apostando em um presidente que será derrotado nas próximas eleições.. Eles apenas usam Bolsonaro para liberação de verbas, mas o limite disso é março de 2022.

Na terça (14), o senador Davi Alcolumbre avisou novamente ao governo que não marcaria a sabatina de Mendonça e recomendou que a indicação dele fosse retirada. No dia seguinte, líderes evangélicos disseram a Bolsonaro que não abrem mão do nome.

O voto dos evangélicos sustenta os 22% de aprovação de Bolsonaro. Mas o Senado está disposto a derrotar a indicação do evangélico Mendonça para o STF. Com isso o apoio de Bolsonaro vai derretendo.  O povão não está suportando a inflação e o desemprego., somando tudo isso com o fracasso do golpe e a carta de desculpas para o ministro Alexandre, até o “gado” está abandonando o mito.

“Se Bolsonaro não sofrer impeachment o país vai aceitar a degradação da presidência da República, além de revogar tudo o que existe no nosso ordenamento legal e constitucional sobre crimes de responsabilidade.” Mirian Leitão.

” Se Bolsonaro não sofrer um impeachment, ele vai criar uma guerra civil no Brasil” Marcos Villas

 

 

Optimized with PageSpeed Ninja