Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Comandantes afirmam para novo ministro da Defesa: não vão violar a Constituição com golpes

Comandantes dizem a novo ministro da Defesa que não darão um passo para contrariar a Constituição

Dos três comandantes militares, apenas o do Exército, general Edson Leal Pujol, está decidido a sair do governo em qualquer circunstância. Os comandantes da Marinha, Ilques Barbosa, e da Aeronáutica, Moretti Bermudes, vão também entregar os cargos formalmente, mas a permanência deles nos cargos depende da conversa e da reação do novo ministro da Defesa, general Braga Netto.

Eles apoiam a postura do general Fernando, de impor limites ao envolvimento das Forças Armadas na política, mas conhecem e elogiam o sucessor Braga Netto e não acham que ele possa “ultrapassar limites”. A intenção dos três comandantes é deixar claro que não darão um passo que possa contrariar a Constituição ou caracterizar ingerência nos outros Poderes, o Judiciário e o Legislativo.

Generais do Exército —da ativa e da reserva— ouvidos pela jornalista, Andreia Sadi, concordam que Bolsonaro quer fazer uso político das Forças Armadas —e que Pujol, comandante do Exército, é “pedra no sapato”