O termo reimoso define alimentos que podem provocar inflamação na pele por reação alérgica. Os alimentos reimosos  dificultam a cicatrização. Também chamados de “alimentos carregados”, o que os reimosos costumam ter em comum é a alta concentração de proteína e gordura animal. Carne de porco e de pato, camarão, caranguejo, moluscos e ovos encabeçam a lista.

“Após a digestão do alimento reimoso, a proteína e a gordura penetram a corrente sangüínea e invadem os mastócitos, células responsáveis pelas reações alérgicas

2. . A reação de defesa é imediata: os anticorpos IgE, células protetoras na superfície do mastócito, contra-atacam os invasores com disparos de histamina

3. Quanto mais alérgica for a pessoa, maior o número de anticorpos IgE. Nesses casos, a luta é tão violenta que acaba estourando o mastócito e liberando para o exterior as células de histamina. Ao Ao chegar à pele, a histamina provoca coceira e inflamação: é a famosa reação alérgica, ( Revista Superinteressante)

 

Quando sofremos um corte, independente da sua origem, surge uma inflamação no local afetado, que indica ao corpo que é necessário iniciar a cicatrização para reparar o tecido lesionado. Essa inflamação é um processo normal que atrai as células de defesa, as quais estimulam a formação de novos vasos sanguíneos para levar nutrientes e oxigênio até a lesão.

Outro efeito é o aumento da produção do colágeno, a proteína que dá sustentação aos nossos tecidos ao manter as células unidas – uma característica essencial para restabelecer a integridade da pele e formar a cicatriz.

Assim, de modo a favorecer uma cicatrização de qualidade, é importante evitar o consumo dos seguintes alimentos:

1. Abacate

As frutas costumam ser muito benéficas para a cicatrização, pois elas fornecem vitamina C, que participa da formação do colágeno. O abacate, porém, é uma exceção, pois ele contém uma substância que inibe a ação da enzima colagenase.

O papel dessa enzima é destruir o colágeno, ajudando a manter essa proteína no nível exato para uma boa cicatrização. Com a ação da colagenase diminuída, o colágeno pode se acumular e favorecer o surgimento do queloide.

2. Alimentos industrializados

Margarina, salgadinhos, bolachas, macarrão instantâneo, comidas congeladas, refrigerantes, sucos de caixinha e sorvetes, entre outros produtos industrializados, costumam ter grandes quantidades de substâncias que aumentam o estado inflamatório do organismo e dificultam a cicatrizaram.

Entre essas substâncias, ganham destaque açúcar, sódio, gordura hidrogenada, gordura trans, corantes, conservantes e adoçantes artificiais.

3. Camarão

O exoesqueleto do camarão é rico em quitosana, um polissacarídeo (açúcar) que a princípio contribui para a cicatrização ao promover a coagulação do sangue e estimular a produção do colágeno.

O problema é que a quitosana também tem efeito inflamatório na pele, o que pode dificultar a cicatrização devido a uma reação exagerada do organismo e promover uma produção excessiva do colágeno, favorecendo os queloides.

4. Carnes gordurosas e carne bovina

A carne oferece aminoácidos que são necessários para a formação do colágeno, mas cortes bovinos muito gordurosos e a carne suína em geral têm um potencial inflamatório muito elevado, produzindo os mesmos efeitos de agravamento da lesão e favorecimento de uma supercicatrização.

Por isso, recomenda-se evitar o consumo de carne de porco e cortes bovinos como acém, capa de filé, contrafilé, costela, cupim, fraldinha, paleta, picanha e ponta de agulha.

5. Embutidos

Produtos como salsicha, bacon, salame, presunto, linguiça, peito de peru, rosbife e mortadela passam por um processamento que envolve a fermentação ou a adição de sal, podendo ainda ser defumados ou curados.

Repletos de sódio e gorduras saturadas, esses alimentos favorecem a retenção de líquido, o que dificulta a eliminação das toxinas do organismo, e agravam a inflamação, que pode levar a uma cicatrização exagerada.

6. Fast food

Ricos em gorduras, açúcares, sódio e outros aditivos químicos ao mesmo tempo em que são pobres em nutrientes importantes como fibras, vitaminas e sais minerais, os fast foods têm alto potencial inflamatório e não fornecem os elementos necessários para a cicatrização.

7. Frituras

O excesso de gordura presente na batata frita, no pastel, na coxinha e em outros alimentos fritos também é um fator de inflamação da pele. Além disso, assim como os fast foods, as frituras também não fornecem os elementos mais importantes para a cicatrização e ainda sobrecarregam o organismo para serem digeridas.

8. Soja

As leguminosas como feijão, lentilha e grão-de-bico são fontes de fibras e proteínas, que favorecem a cicatrização, mas a soja é uma exceção a essa regra. Mesmo oferecendo diversos benefícios para o nosso organismo, a soja é rica em isoflavonas, que estimulam a liberação de substâncias inflamatórias.

Vale lembrar que, se você for alérgico ou intolerante a algum produto, ele também entrará na lista de alimentos que atrapalham no processo de cicatrização da pele e deverá ser evitado neste momento em que seu corpo precisa se recuperar. Na dúvida, não deixe de consultar seu médico.

Fonte(s): Minha VidaTua SaúdeAbrilViva BemVIX e Abril

Optimized with PageSpeed Ninja