Conselho Nacional de Saúde classificou as ações do presidente Bolsonaro como criminosas

Conselho Nacional de Saúde classificou as ações do presidente Bolsonaro como criminosas

O Conselho Nacional de Saúde classificou as ações do presidente Bolsonaro como criminosas e divulgou uma carta aberta as instituições brasileiras a empreender esforços para garantir meios de defender a saúde da população.

Diz o documento: “Não bastasse atitudes irresponsáveis, criminosas e genocidas, além da campanha de desinformação disseminada pelo Presidente da República, o Ministro da Economia Paulo Guedes aplicou e aplica uma política de austeridade fiscal danosa, que se encontra sob fogo cruzado nas principais economias do mundo, inclusive por aquelas que a defendiam como única alternativa pouco tempo atrás.”

O CNS solicitou ao STF e ao Congresso que revogue a emenda constitucional EC 95, que já tirou R$ 22 bi do SUS, e recursos adicionais urgentes para enfrentar a covid-19.

Na convocação foram citadas entidades como:

FAcademia Brasileira de Ciências (ABC), a Associação Brasileira de Imprensa (ABI), a Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns (Comissão Arns), a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e todas as entidades do Movimento da Reforma Sanitária Brasileira

Leia o documento completo, clicando no link abaixo:

CARTA DO CNS – EM DEFESA DA VIDA, DA DEMOCRACIA E DO SUS