Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Cunha ganha mais um dia : parecer que recomenda a votação não foi votado

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) rejeitou na noite desta terça, 12, um pedido do deputado Carlos Marun (PMDB-MS) para adiar por 10 dias a análise do recurso do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Marun é membro da “tropa de choque” de Cunha. Foram 11 votos favoráveis ao recurso, 40 contrários e apenas uma abstenção. O placar foi interpretado como uma sinalização de quantos votos existem hoje na CCJ contra o peemedebista. Os trabalhos serão retomados às 9h30 desta quarta-feira (13). A inscrição para discursos de mais parlamentares foi encerrada hoje. Trinta e seis deputados foram inscritos e foram registrados seis votos em separado. Durante a votação do requerimento de Marun, o relator do processo de cassação no Conselho de Ética, Marcos Rogério (DEM-RO), anunciou que não participará da votação do recurso. Mais cedo, a defesa de Cunha ameaçou judicializar o processo se o relator no conselho participasse da votação.

CUNHA GANHOU MAIS UM DIA DE “SOBREVIVÊNCIA”.A VOTAÇÃO DO PARECER PARA CASSAR O MANDATO DELE, NÃO OCORREU HOJE COMO PREVISTO.

Estadão Conteúdo

“Foi um processo político que começou com a minha eleição em primeiro turno, em que derrotei o candidato da presidenta afastada [Dilma Rousseff] e em que derrotei o candidato da oposição”, disse Cunha.

“Não se cria materialidade com prova testemunhal. Ou tem ou não tem. E não há [prova de titularidade de conta] e, por isso, não se declarou a conta no Imposto de Renda”, afirmou.

“Meu cliente não mentiu [na CPI, ao dizer que não possuía contas no próprio nome no exterior] e está sendo julgado por algo que ele não tem”, acrescentou.

Discutir a origem do patrimônio em sede de processo disciplinar com um processo judicial em andamento é muito mais do que íbis idem. É um absurdo. A qual nenhum dos 117 parlamentares que têm inquérito ou ações penais, alguns aqui presentes nessa sala, não vão aceitar se forem eles os julgados. Não vão aceitar se for contra eles o processo disciplinar”, disse.
‘Hoje, sou eu; vocês, amanhã’, diz Cunha ao se defender na Câmara