Declarações do presidente sobre a Pandemia

 

27 de fevereiro
“Estamos tendo problemas aí com esse vírus, o coronavírus. O mundo todo está sofrendo”, disse com o anúncio do primeiro caso

6 de março
Com 15 casos registrados, ele afirmou que “ainda que o problema possa vir a se agravar, não há motivos para pânico”

10 de março
Quando o Brasil passou de 40 casos, o presidente declarou: “Temos uma pequena crise, no meu entender muito mais fantasia. A questão do coronavírus não é tudo o que a mídia propaga”

11 de março
“O que eu ouvi do mundo todo é que outras gripes mataram mais do que essa”, disse no dia em que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia

16 de março
“Se eu me contaminei, isso é responsabilidade minha, ninguém tem nada a ver com isso”, respondeu ao ser questionado sobre os seus exames

20 de março
Com 991 casos e a primeira morte, o presidente disse: “Depois de uma facada não vai ser uma gripezinha que vai me derrubar”

21 de março
“Reconheço a seriedade do problema e o temor de muitos brasileiros. O governo segue trabalhando e tomará todas as medidas possíveis para o combate ao coronavírus” , afirmou em pronunciamento à nação

23 de março
Ao defender a necessidade de flexibilizar o isolamento, o presidente afirmou: “As vidas das pessoas estão em primeiro lugar. Agora, a dose do remédio não pode ser tão alta porque o efeito colateral pode matar o paciente”

24 de março
“Pelo meu histórico de atleta, caso fosse contaminado pelo vírus, não precisaria me preocupar. Nada sentiria, ou seria, quando muito, acometido de uma gripezinha, de um resfriadinho”, afirmou em um pronunciamento à nação

No mesmo dia, criticou governadores: “Algumas poucas autoridades estaduais e municipais devem abandonar o conceito de terra arrasada”

25 de março
“O que estão fazendo no Brasil, alguns poucos governadores e prefeitos é um crime. Outros vírus mataram mais do que este e não teve essa comoção toda”, declarou

12 de abril
Apesar do aumento nos números de casos, ele declarou: “parece que o vírus começa a ir embora”.