Decotelli, que ficou apenas 5 dias como ministro, irá processar a FGV

Decotelli, que ficou apenas 5 dias como ministro, irá processar a FGV

Ex-ministro Carlos Alberto Decotelli irá processar a Fundação Getúlio Vargas (FGV) por uma nota que negava que ele havia sido professor da instituição. O ex-ministro Carlos Alberto Decotelli, que ficou apenas cinco dias à frente do Ministério da Educação irá processar a Fundação Getúlio Vargas (FGV) por uma nota pública em que negava que ele havia sido professor da instituição. A informação é do blog do jornalista Lauro Jardim. Ele não foi professor contratado, mas deu aula durante anos em diversos cursos da FGV.

A instituição informou que, ao contrário do que diz em seu currículo, o ex-ministro “atuou apenas nos cursos de educação continuada, nos programas de formação de executivos e não como professor de qualquer das escolas da Fundação”. Decotelli foi nomeado na última quinta-feira (25), no entanto, sua permanência no cargo foi abalada após uma universidade contestar o título de doutor listado em seu diploma. Também houve questionamentos do título de pós-doutor e acusações de plágio em sua dissertação de mestrado.