Defesa de Lula entra com liminar no STF tentando impedir a prisão

O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay, entrou nesta quinta-feira com um pedido de liminar no Supremo Tribunal Federal (STF) para evitar a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outros réus que possam ir para a cadeia sem que o processo tenha transitado em julgado — ou seja, que todos os recursos possíveis sejam analisados.
O pedido deve ser analisado pelo ministro Marco Aurélio Mello, que relata uma ação declaratória de constitucionalidade sobre a possibilidade de prisão em segunda instância.

Kakay, autor da ação declaratória de constitucionalidade, argumenta que a concessão de uma liminar “certamente impedirá a injusta prisão de inúmeras pessoas”. O advogado vem conversando em um grupo de mensagens com cerca de 150 profissionais no qual muitos têm dado sugestões e proposto estratégias para a revisão da execução da pena em segunda instância, cerne da defesa de Lula.

Os advogados de Lula querem ingressar na ONU para garantir os direitos políticos do ex-presidente condenado. O que a ONU poderá fazer? Intervir no STF? Conclamar a Otan a fuzilar alvos no Brasil? O ridículo dessa tentativa só se explica por muito desespero de causa.