Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Defesa de Lula diz que denúncia é causada por “vingança” de procurador

O ex-presidente Lula e outras três pessoas, entre elas um dos filhos de Lula, Luis Cláudio, foram denunciados nesta sexta-feira (9) pelo MPF (Ministério Público Federal) em Brasília pelos crimes de tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Esta é a quarta denúncia que pesa contra o petista na Justiça Federal — em outras três, ele já se tornou réu.

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva diz que um dos procuradores do MPF (Ministério Público Federal) do Distrito Federal moveu uma denúncia contra o petista nesta sexta-feira (9) por vingança. “Um dos procuradores da República que subscrevem a denúncia mantinha em conta nas redes sociais diversas publicações ofensivas a Lula e a membros do seu partido”, dizem, em nota, os advogados Cristiano Zanin e Roberto Teixeira.

No texto, os defensores afirmam que Lula tem sido acusado de “forma irresponsável e gratuita por alguns membros do Ministério Público Federal”. Segundo eles, um dos procuradores usa de “suas atribuições para promover uma vingança contra Lula.”

A defesa afirma que os procuradores Hebert Mesquita, Frederico Paiva e Anselmo Lopes consideram Lula como um “inimigo político”. Zanin e Teixeira dizem que os autores da denúncia propõem sucessivas ações judiciais “sem materialidade” contra Lula com a finalidade de tomar o tempo do petista em depoimentos, defesa judicial e “gerar na opinião pública a ideia de uma suspeita difusa”.

Luiz Inácio  e o  filho não tinham conhecimento de compra de caças, diz defesa

A defesa também reclamou, por meio de nota, não ter tido acesso ao teor da acusação. “Essa recorrente forma de atuação do Ministério Público Federal, de transformar a denúncia em um espetáculo midiático em detrimento da defesa, abala a cada dia o já sucumbindo Estado Democrático de Direito no país.”

O Ministério Público acusa Lula de ter supostamente negociado sua influência sobre contratações do governo federal. A denúncia acusa Luis Cláudio de ter recebido ao menos R$ 2,5 milhões de empresários ligados ao suposto esquema. (Uol Notícias)

A denúncia aponta a atuação do ex- presidenre  para interferir na compra de 36 caças do modelo Gripen pelo governo brasileiro e na prorrogação de incentivos fiscais destinados a montadoras de veículos por meio da Medida Provisória 627. Os casos ocorreram entre 2013 e 2015, quando Lula já não era presidente — à época, a presidente era a também petista Dilma Rousseff, ex-ministra dos governos Lula.

Segundo o MPF, na condição de ex-presidente, Lula integrou um esquema que vendia a promessa de que ele poderia interferir junto ao governo para beneficiar as empresas MMC, grupo Caoa e Saab. As investigações ocorrem no âmbito da Operação Zelotes da Polícia Federal.

Essas empresas eram clientes de Marcondes e Mautoni Empreendimentos e Diplomacia Ltda (M&M), escritório de lobby do casal Mauro Marcondes e Cristina Mautoni, também denunciados.

Em troca, segundo o MPF, Mauro e Cristina, donos da M&M, repassaram a Luis Cláudio pouco mais de R$ 2,5 milhões.