Delatores ligados ao PT continuam fazendo declarações sem provas

A audiência, realizada na sede do Tribunal Regional Federal da 2.ª Região, no Rio, faz parte da Ação de Investigação Judicial Eleitoral aberta a pedido do PSDB contra a chapa Dilma Rousseff-Michel Temer  .

O ex-presidente da Construtora Odebrecht Benedicto Júnior, um dos delatores da Operação Lava Jato, disse nesta-quinta-feira, 2, em depoimento ao ministro Herman Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que na campanha de 2014 repassou R$ 9 milhões a políticos do PSDB e do PP e ao marqueteiro tucano a pedido do então candidato à Presidência Aécio Neves – presidente nacional da sigla. Segundo Benedicto, a doação foi feita via caixa 2.

O ex-executivo da Odebrecht – conhecido na empreiteira como BJ – foi advertido pelo ministro de que as doações ao PSDB são objeto estranho à investigação.

Ele  disse que NÃO  se encontrou ou se tratou pessoalmente com Aécio sobre as doações. ( Informações publicadas no Estadão)

COMO ELE PROVA QUE FOI A PEDIDO DE AÉCIO SE ELE NÃO TRATOU DO ASSUNTO COM AÉCIO?

Deixar uma resposta