Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Delegada afirma que o assassinato do tesoureiro do PT não teve motivação política

A Polícia Civil do Paraná apresentou nesta sexta-feira a conclusão do inquérito da morte de Marcelo Arruda em uma festa de aniversário em Foz do Iguaçu no último sábado. A comemoração tinha como tema o Partido dos Trabalhadores e o ex-presidente Lula. Segundo a delegada chefe da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa, Camila Cecconello, “não há provas de que foi um crime de ódio pelo fato de a vítima ser petista”. O atirador Jorge Guaranho foi indiciado por homicídio qualificado por motivo torpe. Ele foi ferido durante a discussão com Arruda, que também estava armado, e está internado em estado grave.

POLÍCIA DO PARANÁ AFIRMA QUE O ASSASSINATO DO TESOUREIRO DO PT NÃO TEVE MOTIVAÇÃO POLÍTICA.
PERGUNTO: SE NÃO HAVIA RIXA, SE ELES NÃO SE CONHECIAM ANTES, POR QUE O ASSASSINO CHEGOU LÁ GRITANTO, OFENDENDO E ENDEUSANDO BOLSONARO NA FESTA COM TEMA PETISTA?

“Não foi o Lobo Mau que, por ser mau, tentou comer Chapeuzinho Vermelho. Foi Chapeuzinho que, orientada por sua mãe, foi ao encontro do Lobo Mal levando uma cesta de alimentos, talvez envenenados, não se sabe. A perícia não ficou pronta.” NOBLAT

A polícia afirmar que a morte do tesoureiro do PT não teve motivação política é uma aberração, é uma vergonha, e querer fazer a sociedade de idiota. Se a temática do aniversário fosse a favor de Bolsonaro, o assassino teria criado atrito?

“A polícia civil do Paraná concluiu que não foi crime político porque não impediu ninguém de exercer seus direitos. Fica difícil Marcelo exercer esses direitos estando MORTO, não? Negar a natureza de crime de ódio ao caso é uma tentativa covarde de apagar essa tragédia!” (  Senador Randolfo Rodrigues)

“Delegada descarta a óbvia premeditação do crime e a realidade que grita: se a imagem de Bolsonaro estivesse naquele bolo, Marcelo de Arruda estaria vivo. Um crime, enfim, político, sim.”
Reinaldo Azevedo
Escreveu Reinaldo Azevedo:
“É claro que, de saída, já temos a aplicação de pesos e medidas desiguais em situação idêntica. O Ministério Público Federal denunciou Adélio Bispo dos Santos, que esfaqueou Jair Bolsonaro, com base do Artigo 20, Parágrafo Único, da antiga Lei de Segurança Nacional, a saber: “Art. 20 – Devastar, saquear, extorquir, roubar, sequestrar, manter em cárcere privado, incendiar, depredar, provocar explosão, praticar atentado pessoal ou atos de terrorismo, por inconformismo político ou para obtenção de fundos destinados à manutenção de organizações políticas clandestinas ou subversivas. Pena: reclusão, de 3 a 10 anos. Parágrafo único – Se do fato resulta lesão corporal grave, a pena aumenta…”

Se o crime não foi político, por que Bolsonaro ligou para os irmãos de Marcelo Arruda?

E ELE SÓ LIGOU PARA OS IRMÃOS BOLSONARISTAS, IGNORANDO OS PETISTAS E A VIUVA DA VÍTIMA