Deputado diz que críticas de Bolsonaro à China causa atraso do envio de IFA

Deputado diz que críticas de Bolsonaro à China causa atraso do envio de IFA

 

O deputado federal Paulo Teixeira (PT) afirmou que a China barrou o envio de 10 mil litros de ingrediente de farmacêutico ativo (IFA) para a produção de 18 milhões da CoronaVac, vacina produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a Sinovac. O motivo seria as declarações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ao país asiático na última semana.

A última semana, o presidente afirmou ver risco de uma “guerra química” e, sem citar diretamente a China, disse que o novo coronavírus pode ter sido produzido em laboratório. Além disso, também falou, com tom de critica, que o país foi o único que conseguiu crescer ao longo da pandemia.

“É um vírus novo, ninguém sabe se nasceu em laboratório ou nasceu porque um ser humano ingeriu um animal inadequado. Mas está aí, os militares sabem que é guerra química, bacteriológica e radiológica. Será que não estamos enfrentando uma nova guerra?”, disse Bolsonaro em evento promovido pelo ministério das Comunicações, no Palácio do Planalto, no dia em que senadores ouviram o ex-ministro Nelson Teich (Saúde) na CPI da covid-19.

o Ministério da Saúde, alegou que eventuais atrasos nas entregas dos insumos para a produção da CoronaVac não são intencionais e que a exportação da matéria-prima para o imunizante está ocorrendo em diversos países.

Mas o presidente do Instituto Butantan. Dimas Covas diz que todas as declarações neste sentido têm repercussão. “Nós já tivemos um grande problema no começo do ano e estamos enfrentando de novo esse problema”, disse o presidente do Butantan, Dimas Covas.

“Pode faltar [insumos]? Pode faltar. E aí nós temos que debitar isso principalmente ao nosso governo federal que tem remado contra”, disse Covas.

Jorge Roriz