Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Dilma pretende usar o STF para barrar o impeachment

O GOLPE NA CONSTITUIÇÃO ANULANDO A ELEIÇÃO DA COMISSÃO E CONCEDENDO PODERES AO SENADO PARA BARRAR O IMPEACHMENT, NÃO FOI SUFICIENTE. ELES ( LULA E DILMA) QUEREM APLICAR OUTRO GOLPE.
SABENDO DA IMINENTE DERROTA, DILMA PRETENDE ENTRAR COM AÇÃO NO STF PARA DIZER QUE NÃO EXISTE BASE LEGAL PARA O IMPEACHMENT.
A DECISÃO DO IMPEACHMENT CABE A CÂMARA E AO SENADO. E O RITO ESTABELECIDO É O DECIDIDO PELO STF.
PELA CONSTITUIÇÃO NÃO EXISTE ESSA POSSIBILIDADE DE TAL CONSULTA AO STF
O STF NÃO FARIA A REGULAMENTAÇÃO DO IMPEACHMENT SE NÃO EXISTISSE BASE LEGAL.
O QUE  DILMA QUER É RASGAR A CONSTITUIÇÃO E APELAR PARA SEUS MINISTROS DO STF.
ISSO NÃO VAI TERMINAR BEM. CHEIRO DE REVOLTA POPULAR E GUERRA CIVIL. OS PETRALHAS NÃO SE CONFORMAM EM PERDER. SÓ USAM AS LEIS DE FORMA RIGOROSA CONTRA SEUS ADVERSÁRIOS. E QUANDO A LEI É CONTRA ELES, PROCURAM RASGAR AS LEIS OU CRIAR NOVAS LEIS A FAVOR DELES.
Governo cada vez mais isolado e assistindo a uma debandada dos aliados que o Palácio do Planalto pretende mandá-lo de volta para o Supremo, sob a alegação de que não há base legal para questionar o mandato da presidenta. “O pacto entre nós é a Constituição de 1988. Ela assegura que não se pode tirar um presidente da República legalmente eleito a não ser que haja prova de crime de responsabilidade. Não tendo, é golpe contra a democracia”,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.