Dupla transexual escocesa transforma filho de 5 anos em “filha”

Segundo o jornal Daily Record, Greg Rogers, de 27 anos, nascido mulher e transexual desde os 16 anos, e Jody, de 21 anos, disseram que o filho Jayden começou a fazer a mudança sexual para ser transformar em uma menina.

Depois do anúncio, as duas foram denunciadas aos serviços sociais por membros anônimos da comunidade de Shotts, Lanarkshire.

As duas foram denunciadas aos serviços sociais por membros anônimos da comunidade de Shotts, Lanarkshire.

A comunidade escocesa considera uma crueldade as transexuais deixarem o menino usar roupas de menina.

Em abril, o The Times informou que cinco médicos e ex-funcionários denunciaram a clínica para transexuais Tavistock Center na Grã-Bretanha – financiada por fundos públicos – e se demitiram devido a temores de ética e segurança, por causa da maneira como as crianças eram tratadas.

Eles pediram o fim de procedimentos experimentais com crianças e disseram que pais tiveram seus filhos, alguns com apenas três anos de idade, sendo submetidos a tratamento desnecessário de “reatribuição” de sexo.

Os médicos acreditam que algumas crianças foram diagnosticadas erroneamente como “transexuais”, simplesmente porque experimentaram atrações sexuais entre pessoas do mesmo sexo.

Estes diagnósticos errôneos têm levando crianças a passarem por intervenções médicas que mudam suas vidas definitivamente, mesmo sem evidências suficientes de seus efeitos a longo prazo, alertaram estes especialistas.

No ano passado, mais de 2.500 jovens foram encaminhados à clínica GIDS (Serviço de Desenvolvimento de Identidade de Gênero), no Centro Tavistock.

Todos esses médicos foram responsáveis por determinar quais crianças deveriam ou não ter bloqueadores de hormônio retardadores da puberdade.

Na maioria dos casos, as crianças que recebem bloqueadores da puberdade, começam a tomar esses hormônios quando têm 16 anos.

Os efeitos desses hormônios são irreversíveis.

Os especialistas informaram o The Times, que eles alegavam que as crianças eram aprovadas para as terapias, mesmo antes que a clínica estabelecesse as causas de sua “confusão de sexo”.

O jornal The Times também entrevistou Carl Heneghan, do Centro de Medicina Baseada em Evidências da Universidade de Oxford. Ele também criticou as terapias transgêneras experimentais.

“Dada a escassez de evidências, o uso de hormônios bloqueadores no tratamento da disforia de sexo significa, em grande parte, um experimento não regulamentado em crianças. A confusão em que nos metemos, com o tratamento da disforia de sexo em crianças e adolescentes, destaca tudo o que é preocupante com o uso atual e a avaliação de medicamentos poderosos nessa faixa etária”, disse Carl.