Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Eduardo Cardoso não tem medo do ridículo

O  impeachment é  julgado pela Câmara e pelo Senado. Como sabemos o Congresso faz parte do poder legislativo.

Embora seja necessário existir crime de responsabilidade (  no caso de Dilma ocorreram vários crimes) o julgamento é político e não jurídico.

Se fosse jurídico , o julgamento ocorreria no STF ( poder judiciário e não no legislativo).

Estranhamente, Eduardo Cardoso, repetiu no seu pronunciamento feito logo após a votação ter sido realizada na Câmara,  que o julgamento foi político, como se isso estivesse  fora dos parâmetros da normalidade.

Além da ação ter sido feita por renomados juristas, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) reconheceu que existem crimes de responsabilidade, e como prova disso, deu entrada em outro pedido de impeachment.

A OAB daria  entrada em um processo de impeachment sem base legal?

Admitida a denuncia  foram feitas  consultas ao STF e foi definido  o rito que foi seguido rigorosamente pela Câmara.

O STF  definiria  o rito de algo ilegal?

O advogado da Advocacia Geral da União,(AGU),  Eduardo Cardoso, enviou quatro ações, que somadas a outras ações feitas por partidos da base  governista ( uma inclusive no dia da votação)   totalizando 06 ações.  As ações contestavam o procedimento legal do  impeachment. Pedia a anulação de todos os atos do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, alegava falta de defesa suficiente da presidente Dilma e pedia a extinção do processo. TODAS AS AÇÕES FORAM RECUADAS PELO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL (STF). Orgão mais elevado da justiça do país.

A votação ocorreu e dentro do universo de 513 deputados, a presidente Dilma teve apenas 137 votos.

Em outras palavras, a presidente Dilma  não possui comando, credibilidade e confiança de mais de 70% dos parlamentares. Sem apoio do Congresso, está politicamente morta.

E o Sr Eduardo Cardoso continua a falar em golpes e faz ameças de que vai recorrer ao STF.

O Sr Cardoso alega que somente no parlamentarismo o presidente pode ser afastada pelos parlamentares. ISSO É MENTIRA.

O IMPEACHMENT É CONSTITUCIONAL E DENTRO DO NOSSO SISTEMA PRESIDENCIALISTA  QUEM JULGA SE A PRESIDENTE DEVE OU NÃO SER AFASTADA É A CÂMARA E O SENADO.

NÃO CABE RECURSOS AO STF

O QUE DESEJA SR. CARDOSO?

CRIAR NOVAS LEIS? PASSAR POR CIMA DA DECISÃO DO STF E DA CÂMARA? ESTAMOS EM UMA DITADURA BOLIVARIANA?

O QUE DESEJA O SR CARDOSO?

PASSAR A IMPRESSÃO PARA AS CAMADAS MAIS POBRES E MENOS INFORMADAS DA POPULAÇÃO DE QUE DILMA SOFRE UM GOLPE PARA INCITAR A VIOLÊNCIA NAS RUAS?

SE ELE CONTINUAR A AGIR ASSIM, DEVERIA  SER PRESO OU VAI COLOCAR SUA BIOGRAFIA E SUA HISTÓRIA NO LIXO. AS ARGUMENTAÇÕES DE CARDOSO NÃO PARECEM SER DE UMA PESSOA QUE ESTUDOU O DIREITO.

JORGE RORIZ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.