EIKE BATISTA O “EXEMPLO” DE EMPRESÁRIO DE LULADILMA

EIKE SAIU DO BRASIL, DOIS DIAS ANTES DE SER PRESO. ELE USOU UM PASSAPORTE ALEMÃO.
NÃO PASSOU SEBO NOS CABELOS, FOI SEBO NAS CANELAS. “SE PICOU.” COMO DIZ OS BAIANOS. KKKKKK
EMISSÁRIOS DE EIKE, AFIRMAM QUE ELE DEVERÁ SE ENTREGAR….

Eike tem passaporte alemão e, portanto, tem proteção especial da lei do país. Isto significa que pode permanecer na Alemanha mesmo no caso de delitos graves, como homicídio ou tráfico de drogas. Caso o seu envolvimento em um delito grave seja comprovado, ele continua protegido caso a lei do país que o procura ameace com uma penalidade maior do que na Alemanha ou as condições de prisão sejam piores do que nas prisões do país.

“A transação foi real e verdadeira, a Centennial comprou uma minha de ouro. Mas o contrato foi forjado para que os doleiros de Cabral aparecessem como os intermediários da compra”, explicou Eduardo Ribeiro Gomes El Hage, procurador da República, em entrevista à imprensa nesta manhã. Segundo ele, a mediação para essa compra nunca existiu.

EIKE confessou o pagamento de 5 milhões de reais em propinas para o PT, a pedido de Guido Mantega..

Eike pagou US$ 16,5 milhões em propina a Cabral, dizem delatores. Ocorreu vazamento da Operação. Eike viajou dia 24/01 e seria preso no dia 26/01.

Eike é considerado foragido. Ele chegou a ser o 8º homem mais rico do mundo, de acordo com a revista Forbes. A Polícia Federal acionou a Interpol. Novo desdobramento da Lava Jato, deflagrada na manhã desta quinta-feira (26). A Polícia Federal investiga crimes de lavagem de dinheiro na ocultação no exterior de aproximadamente U$ 100 milhões, cerca de R$ 340 milhões. O esquema seria comandado pelo ex-governador fluminense.

A operação Eficiência prendeu 4 pessoas nesta quinta:

– Álvaro Jose Galiez Novis

– Flávio Godinho, ex-executivo da empresa EBX

– Thiago Aragão

– Sérgio de Castro Oliveira

Ao todo, foram expedidos 9 mandados de preventiva (sem prazo para terminar), mas 3 dos alvos já estavam presos. São eles: o ex-governador Sérgio Cabral e Wilson Carlos e Carlos Miranda, operadores de Cabral. Ainda não foram presos Eike Batista e Francisco de Assis Neto.

“O patrimônio dos membros da organização criminosa chefiada pelo senhor Sérgio Cabral é um oceano ainda não completamente mapeado. O limite é… Eu já diria que esses US$ 100 milhões é além do imaginável”, afirmou procurador Leonardo Cardoso de Freitas, em entrevista para detalhar a operação,