Em 2004 o então deputado Bolsonaro escrevia cartas para sites neonazistas

A antropóloga e pesquisadora da PUC de Campinas Adriana Dias, descobriu que Bolsonaro escrevia cartas para diversos sites neonazistas.

Um desses sites era o ECONAC, que saiu do ar em 2006.

Ela diz;

“Na verdade, o teor do documento (carta) não é o mais importante. O mais importante nessa carta é que ele diz que essas pessoas são a razão do mandato dele e essa carta só foi publicada em sites neonazistas e em nenhum outro canto. Os banners, para mim, têm até mais importante do que a carta em si, porque geravam um tráfego intenso para a página dele (Bolsonaro)… O tráfego do site dele, à época, vinha 90% de sites neonazistas, eram até 300 mil visitas, medidas pela ferramenta Alexa, o que já é muito hoje, mas naquela época (2004) era algo gigantesco”, esclarece.

“Claro que se ele nunca falou disso, em momento algum, apesar de todos esses grupos neonazistas o apoiarem, ele descartou (a exposição) desses grupos. Acho que isso fala algo muito importante. Ele sabe que está falando com a sua base e ele não pode calá-la”, explica a pesquisadora,

Optimized with PageSpeed Ninja