Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Em defesa de Malafaia

“Foi tudo esclarecido. O delegado, muito competente, perguntou tudo o que tinha direito. Eu respondi tudo”, relatou Malafaia. “Sou suspeito de usar contas da minha instituição? Lembrei-me de ter recebido a visita de um amigo meu, de 20 anos, que levou um membro dele [o empresário] para fazer uma oferta e eu vou desconfiar que o cara está envolvido? Nem ele, o pastor Michael Abud, sabe do envolvimento desse cara, tenho certeza”.

Segundo Silas Malafaia, é muito difícil para as organizações e entidades religiosas saberem se a origem do dinheiro de doações é ilegal.

Malafaia disse que vai esperar o final das investigações para analisar o que fará sobre o fato de ter sido alvo da operação. “Vou até o final, porque quem é amanhã que vai me dar toda essa mídia se encerrar [a investigação] e vocês falarem: ‘olha, pastor, encerraram e não tem nada contra o senhor’? Eu vivo de conceito da opinião pública. Vivo disso. Recebo ofertas de milhares e centenas de milhares das pessoas. E quem é que vai recuperar isso? Quem é que vai recuperar o dano que está me causando e quem vai recuperar a minha honra?”

Indagado por jornalistas se não seria, então, o caso de devolver o dinheiro, de fonte ilegal, que foi depositado em sua conta, Malafaia respondeu: “Se, de fato, é um dinheiro ilícito, é claro que eu devolveria. Não preciso de roubo”.

No entanto, ele acrescentou que não teria como devolver um dinheiro, fruto de doação, se ele não sabe a origem do dinheiro.

“Vou devolver o que, se recebi uma oferta? Ninguém devolve oferta. Você recebe as ofertas e não sabe quem é o cara que dá. Se a Justiça mandar eu devolver um valor, eu vou devolver”, disse.

Exaltado, o pastor reclamou de ter sido conduzido coercitivamente para depor hoje.

“Aonde vai o Estado Democrático de Direito? Nem na ditadura fizeram isso contra um cidadão. Estou indignado, sou um cidadão. Quer dizer que jogam o nome da pessoa na lama?”, criticou.

 

Segundo a Folha de S. Paulo, o pastor Silas Malafaia é um dos investigados da Operação Timóteo, que apura desvios nos royalties do petróleo.

“Ele teria participado da lavagem de dinheiro por supostamente ter recebido valores do principal escritório de advocacia responsável pelo esquema. Ele é suspeito de emprestar contas da instituição dele para ajudar a ocultar dinheiro”.

NA VERDADE NADA EXISTE CONTRA MALAFAIA ALÉM DE TER RECEBIDO UMA DOAÇÃO DE UM BANDIDO, NO VALOR DE R$ CEM MIL REAIS. (VALOR MUITO ALTO………………) MAS O BANDIDO PODE TER USADO MALAFAIA PARA LAVAR DINHEIRO SEM O CONHECIMENTO DE DELE ( MALAFAIA)
NÃO EXISTE PROVAS DE LIGAÇÕES DE MALAFAIA COM O CRIME.