Em outro país atitude de Bolsonaro seria considerado genocídio

Em outro país atitude de Bolsonaro seria considerado genocídio

O governador do Estado de São Paulo, João Doria (PSDB) afirmou que se fosse em outro país, o comportamento de Bolsonaro seria considerado genocida.

Em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes,  Doria considerou como “inacreditável” declaração dada mais cedo por Bolsonaro de que o governo federal fez a sua parte para enfrentar o colapso da saúde pública em Manaus, onde pacientes morreram asfixiados por falta de oxigênio.

“Em outro país isso talvez fosse classificado como genocídio”, disse Doria, que antes chegou a se exaltar e bater com o telefone celular no púlpito ao ler uma notícia divulgada pela CNN Brasil de que o Estado do Amazonas estava pedindo a outros Estados que recebam bebês prematuros afetados pela falta de oxigênio no sistema hospitalar de Manaus.

“Gente, é o fim do mundo isso! É o fim do mundo! Para quem é pai, quem é mãe, não tem oxigênio para bebê!”, afirmou.

“Terrível o problema lá. Agora, nós fizemos a nossa parte”, disse. “As Forças Armadas deslocaram para lá um hospital de campanha, o ministro da Saúde esteve lá na segunda-feira providenciou oxigênio”, disse.