Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

A estranha decisão do Copom

Após pressão do Partido dos Trabalhadores e em meio a sinais de que a economia terá uma retração mais forte, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu manter, pela quarta vez seguida, a taxa básica de juros inalterada em 14,25% ao ano nesta quarta-feira (20)

Existe a necessidade técnica de subir. A decisão foi influência dos “técnicos” do PT e terá consequências negativas. Devido as piora nas previsões do FMI para o Brasil. a subida estava sendo esperada pelo mercado

Juros artificiais ( mais baixos) é semelhante a redução da taxa de luz, feita por Dilma. E semelhante a não subir a gasolina no período eleitoral para depois o aumento ser muito maior. Isso é adiar e agravar problema. A decisão foi política e não técnica.

Não se resolve problema econômico por decreto. O Banco Central perdeu a autonomia?

Otto Nogami, professor de economia do MBA do Insper, em entrevista ao G1
“A percepção que eu tenho é que estão fazendo da política monetária um brinquedo para satisfazer algumas vaidades. Tecnicamente falando da falta de capital de giro nas empresas e da incapacidade que se tem em recompor o estoque, você naturalmente tem uma pressão inflacionária. Sob essa ótica, a elevação dos juros, apesar do momento recessivo seria, muito importante subir a taxa.”

“Então surge um temor de que o que está se fazendo agora foi aquele momento em que governo forçosamente tentou baixar a taxa de juros. A percepção que se começa a ter é de que ao contrariar uma solução técnica cria-se um problema a mais no futuro, como o agravamento da recessão”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.