Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Estudo aponta que a Covid é mais grave em pessoas com síndrome de Down

No dia 21 de março, marcado como o Dia Internacional da Síndrome de Down; pesquisadores brasileiros tentam buscam por que a síndrome causa quadros mais críticos da Covid-19.

De acordo com pesquisadores, a três hipóteses: formação anatômica, sistema imunológico e expressão genética. A síndrome de Down é resultado de uma alteração genética no cromossomo 21 que é triplicado em pessoas com a condição.

Segundo Márcia Amorim, professora do Instituto de Biologia da UFF (Universidade Federal Fluminense), uma das autoras de um artigo, publicado na revista Neurological Sciences; “O paciente com essa síndrome normalmente tem um grau de deficiência intelectual, que é variável; pode ter problemas cardíacos e há também maiores propensões para distúrbios respiratórios, por exemplo”.

O estudo aponta a importância de priorizar pessoas com síndrome de Down na vacinação contra a Covid, uma vez que a doença tende a ter um quadro mais crítico em pacientes com essa condição genética. Em analise, a especialista ressalta que “Alguns estudos apontaram que pacientes com síndrome de Down tiveram maior hospitalização, chance de intubação e de mortes [ao terem Covid em comparação com o grupo controle]”.

Dessa forma, o estudo levanta a hipótese que pode elucidar a gravidade para essa população se relaciona com uma expressão genética – a TMPRSS2 (serina protease transmembrana tipo II).

“No caso dos pacientes com síndrome de Down, normalmente eles têm anormalidades cardíacas e pulmonares, além de terem alterações no funcionamento do sistema imunológico. Isso faz com que eles estejam mais vulneráveis à Covid-19”, afirma Danielle Silva, pós-doutoranda em microbiologia da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e autora de outro artigo que também aborda as particularidades de pessoas com síndrome de Down quando infectadas pelo coronavírus.