EX-PRESIDENTE DA PETROBRAS E DO BB É CONDENADO A 11 ANOS DE PRISÃO

O ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras, Aldemir Bendine, foi condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 11 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, os mesmos crimes cometidos pelo ex-presidente Lula.

Preso desde 27 de julho de 2017, por ocasião da 42ª fase da Lava Jato, Bendine recebeu, segundo a condenação, R$ 3 milhões da Odebrecht em forma de propina para favorecer a empreiteira em contratos de obras com a Petrobras.

Além de Bendine, foram condenados Marcelo Odebrecht, ex-presidente da empreiteira baiana, André Gustavo Vieira, marqueteiro tido como operador financeiro do ex-presidente da Petrobras, e o executivo Alvaro Novis. Vieira foi condenado pelos mesmos crimes de Bendine e Odebrecht e Novis pelos crimes de corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

Odebrecht e Vieira também eram acusados do crime de organização criminosa, mas foram absolvidos pelo magistrado.

“O condenado assumiu o cargo de Presidente da Petrobras em meio a um escândalo de corrupção e com a expectativa de que solucionasse os problemas existentes. O último comportamento que dele se esperava era corromper-se, colocando em risco mais uma vez a reputação da empresa”, escreveu Moro na sentença.