Família Lula teve privilégio sobre negócio com tríplex

 

O benefício concedido à família do ex-presidente Lula de desistir da compra do apartamento tríplex no Guarujá (SP) após seis anos de sua aquisição não foi estendido aos demais cooperados dos imóveis da Bancoop. As seis mil famílias que investiram no empreendimento lutam até hoje para requererem seus direitos, segundo reportagem publicada nesta quarta-feira (3) pelo jornal Folha de S. Paulo.

De acordo com o conselheiro da Associação das Vítimas da Bancoop, Marcos Sergio Migliaccio, essa prerrogativa foi exclusiva de Lula e sua mulher, Marisa Letícia. Migliaccio afirma que em casos similares, em que as famílias não tomaram decisão nenhuma sobre a compra, a OAS moveu ação judicial para tomar o imóvel.

Para o deputado federal Domingos Sávio (PSDB- MG), está “mais do que evidente que Lula se valeu da condição de ex-presidente para ter benefícios absolutamente fora do padrão”. “Um deboche, um acinte para com a Justiça, para com a democracia. É preciso que haja um aprofundamento das investigações. Já existem provas incontestes dos benefícios que o Lula e sua família obtiveram por meio dessas empresas criminosas. Isto deve ser punido”, disse o deputado.

Sávio ressaltou que a Justiça é “para todos” e considera inaceitável que o ex-presidente não seja punido. “Tem que haver sim investigação e tem que haver punição. Não interessa se foi presidente da República. Nós não podemos deixar que isso impeça o funcionamento da Justiça sob pena de desmoralizar e acabar com o fundamento maior de um país que é a sua ordem constitucional”, afirmou.

O parlamentar alerta para um possível desrespeito da legislação brasileira. “O Brasil está em risco. Se esses fatos não forem devidamente apurados e a punição ocorrer, nós estaremos desmoralizando o nosso país. Não se trata de uma discussão de natureza partidária. Está em jogo a soberania, a democracia, o judiciário no Brasil e os valores morais e éticos que devem nortear toda uma nação.”

O deputado tucano disse que existe no Brasil um “mito da figura intocável do Lula” e que as recentes descobertas são apenas a ponta do “iceberg” envolvendo o ex-presidente em atos suspeitos. “Lula se beneficiou sim e ele deve ser punido e a punição para quem comete crime é a cadeia. Eu espero que a Justiça funcione e vá até o fim apurando e comprovando o envolvimento do ex-presidente nessa questão. A impunidade é um estímulo à continuidade do crime. E o crime é contra a nação inteira”, declarou.

A força-tarefa da Lava-Jato acredita que a OAS tenha reformado o apartamento tríplex no condomínio Solaris em troca de benefícios do ex-presidente à empreiteira. O Ministério Público de São Paulo investiga possíveis irregularidades nas transações entre a família de Lula, a empreiteira e o condomínio onde está localizado o tríplex.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.