Feira online pode oferecer 9 mil vagas para pessoas com deficiência

Antes da abertura do evento, empresas já disponibilizam 3.500 postos

A quarta edição da Inclui PcD, feira de empregabilidade para pessoas com deficiência, que será realizada de 20 a 22 deste mês, já contabiliza 3.500 vagas em empresas como Azul, BASF, Bosch, Gerdau, Globo, EY, Heineken, Nexa, Pepsico, Grupo Soma, GPA, Nivea e Raízen, entre outras. Empresas e candidatos ainda podem se cadastrar gratuitamente para participar da feira online neste endereço.

Criada em alusão ao Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência, comemorado em 21 de setembro, a feira é realizada pela startup Egalite, especializada na inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. A feira cria uma ponte entre profissionais PcDs e aposta em conexão, inclusão e capacitação.

Guilherme  Braga,  fundador  e  diretor  executivo  da  startup  Egalite,  que  promove  a  feira  online  de  empregabilidade  Inclui  PcD – Marco Torelli/Divulgação

A iniciativa, que surgiu em 2020, visa a reduzir os impactos causados pela pandemia da covid-19, disse à Agência Brasil o fundador da startup, Guilherme Braga. Naquele ano, a base de dados da empresa tinha 50 mil candidatos.

“A gente percebeu, em 2020, muito por conta da pandemia, que as empresas estavam olhando para dentro e reduziram muito as oportunidades de emprego para pessoas com deficiência. Então, a gente aproveitou a data do 21 de setembro para trazer uma conscientização sobre o tema e fazer com que as companhias criassem vagas direcionadas para PcDs.”.

De acordo com Braga, o resultado foi “muito legal”. No primeiro ano, foram ofertadas mais de 5 mil vagas para pessoas com deficiência s e mais de 200 empresas participaram. “Conseguimos atingir nosso objetivo e estamos partindo para a quarta edição da Inclui PcD.”

Plataforma

Nesta edição, a feira trará uma novidade, que é a possibilidade de as empresas contratarem PcDs durante o ano inteiro e não somente uma vez no ano. Isso poderá ser feito pela plataforma incluipcd.com.br, que será lançada oficialmente durante o evento. A Egalite vai continuar realizando a feira em comemoração ao 21 de setembro, mas as vagas estarão disponíveis durante todo o ano.

A meta da 4ª Inclui PcD é oferecer 9 mil vagas, que devem ser inscritas pelas empresas até o próximo dia 15. Já os candidatos poderão se inscrever até o término da feira. Durante todo o período do evento, são oferecidas capacitações diversas aos candidatos, dadas por especialistas e disponibilizadas também de forma gratuita. As capacitações podem ser acompanhadas pelo site. O conteúdo vem sendo aproveitado também por muitas empresas. O objetivo é conectar as organizações com os candidatos. As vagas começaram a ser disponibilizadas no dia 1º deste mês e vão ficar abertas até o fim do mês.

Braga disse acreditar que a feira atingirá o objetivo de ofertar 9 mil vagas nesta edição. “Ontem, estava em 2.500, já foi para 3.500, e a gente tem a expectativa de finalizar esta semana com mais de 5 mil vagas. O engajamento vai crescendo à medida que a feira se aproxima”. No momento, já são 504 empresas cadastradas.

Amadurecimento

Na avaliação de Guilherme Braga, a ideia de inclusão está amadurecendo nas empresas brasileiras. “Com certeza. A gente vê, ano a ano, o número de inclusões aumentar. Claro que o ritmo poderia ser mais acelerado, mas hoje existem mais de 5 mil pessoas com deficiência no mercado formal de trabalho. Entendemos que a questão de cultura e o próprio interesse das empresas sobre o tema vem crescendo muito, não só por uma questão legal da Lei de Cotas, mas também pela companhia acreditar na valorização da diversidade e inclusão dentro das organizações.”

Egalite

Criada em 2010, a Egalite é uma startup especializada na inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. A empresa já capacitou e empregou mais de 14 mil pessoas em todo o país.

Em 2017, foi a primeira empresa do Brasil premiada no Global Grand Challenges Awards (Prêmio Grandes Desafios Globais) e, no mesmo ano, foi considerada uma das dez startups mais atrativas do Brasil, de acordo com o ranking das 100 Open Startups.

JORGE RORIZ