Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Fracassa o projeto de Bolsonaro para armar suas milícias

Nesta segunda-feira (12), a ministra Rosa Weber, do STF (Supremo Tribunal Federal), suspendeu quatro decretos do presidente Jair Bolsonaro, publicados em fevereiro deste ano, que flexibilizavam a posse e o porte de armas no Brasil. As normas entrariam em vigor nesta terça (13).

Foi suspensa a norma que aumentava de quatro para seis o limite de armas de fogo que um cidadão comum pode adquirir, desde que preenchesse os requisitos necessários para obtenção do Certificado de Registro de Armas de Fogo.

Também foi suspensa a permissão para policiais, magistrados, agentes prisionais e integrantes do Ministério Público comprarem duas armas para uso restrito.

Rosa Weber revogou a dispensa prévia da autorização do Comando do Exército para que colecionadores e atiradores adquirissem armas.

A decisão será analisada na sessão do plenário virtual da corte que vai de 16 a 24 de abril. Durante o período os ministros daráo seus votos confirmando ou não a decisão de Rosa Weber.

O decreto de Bolsonaro criado nas vésperas dos feriados de carnaval somente criaria mais violência e mortes. É público e notório que pesquisas realizadas em todo o mundo afirmam que o aumento de armas para uso da população, aumenta as mortes.

A preocupação de Bolsonaro com aumento de armas em plena pandemia,  sugere uma criação de milícias ( armar seus apoiadores) para em caso de ocorrer um impeachment ou derrota nas eleições, o Brasil se transformar em mar se sangue.  Na famosa reunião ministerial  de 22/04, filmada e exibida para a opinião publica, Bolsonaro falou em armar a população sugerindo uma desobediência civil contra os governadores.