Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

“Gabinete do ódio” planeja comprar ferramenta espiã para uso nas eleições

“Gabinete do ódio” aproveitou viagem oficial de Bolsonaro para negociar ferramenta espiã
Um integrante do “gabinete do ódio” esteve em Dubai, com a comitiva do presidente Jair Bolsonaro no ano passado, para conversar com um representante da empresa DarkMatter, que desenvolveu uma ferramenta espiã. A informação foi divulgada pelo portal UOL.

O “gabinete do ódio” é como foi nomeada a estrutura de assessoramento paralelo do governo federal e o integrante desse grupo que esteve nos Emirados Árabes para o Dubai Airshow é especialista em inteligência e contrainteligência e responde, segundo a reportagem, de maneira extraoficial ao vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (Republicanos), filho do presidente da República.

O nome dele não foi revelado, mas fontes garantiram à reportagem do UOL que a tentativa de compra ocorreu para que a ferramenta fosse utilizada durante das eleições e que as conversas ocorreram em sala privada cedida pelo governo de Israel, mas a compra não foi efetivada.

Ainda de acordo com a publicação, as informações sobre as conversas foram dadas por uma pessoa que integrou a comitiva presidencial que esteve nos Emirados Árabes durante a viagem oficial de Bolsonaro e demais integrantes do governo.

A DarkMatter tem sede em Abu Dhabi, mas é formada por programadores israelenses que faziam parte da chamada Unidade 8200, força de hackers de elite vinculada ao exército de Israel. A companhia elaborou programas que conseguem invadir computadores e celulares.

o Palácio do Planalto, o Gabinete de Segurança Institucional do governo e o vereador Carlos Bolsonaro, não se manifestaram.

Fonte: UOL