Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

General eleito deputado questiona a Constituição e decisões legais do STF

A ditadura do judiciário de aproxima?
Segundo o Portal Terra, o General eleito deputado pelo PSL, Girão Monteiro, prega a prisão de ministros do STF e cita decisões tomadas pelo STF que foram perfeitamente legais.

O general não possui a menor ideia de como funciona a lei o Congresso e a Constituição
Os ministros do STF só podem receber o impeachment com a autorização do presidente do Senado e votação no Senado com ampla maioria.
Claro que ninguém ( nem mesmo ministros do STF) estão imunes a prisão. Mas não poderiam ser presos por tomar decisões legais, constitucionais que o general e os leigos em direito discordam.

Segundo o Portal Terra: “general Eliéser Girão Monteiro Filho, deputado eleito pelo PSL no Rio Grande do Norte, defendeu o impeachment e a prisão de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) responsáveis pela libertação de políticos acusados de corrupção, como o ex-deputado José Dirceu (PT) e os ex-governadores do Paraná Beto Richa (PSDB) e de Goiás Marconi Perillo (PSDB). Segundo ele, “o impeachment de vários ministros” se insere em um “plano de moralização das instituições da República”.

AS DECISÕES DE SOLTAR BETO RICHA E PERILLO FORAM LEGAIS, CONSTITUCIONAIS. Não é porque uma decisão da justiça desagrade o geeral que os ministros serão impichados. Seria isso os sinais da ditadurura do judiciário no governo Bolsonaro?

O “Brasil é um país onde a lei tem de ser respeitada por todos. Só porque alguém é presidente, ele deve responder apenas quando deixa a Presidência?”, questionou. Em seguida, disse que se referia ao presidente Michel Temer.

Questionar que o presidente só pode ser punido e responsabilizado por crimes ocorridos durante o mandato) é questionar a Constituição que só pode ser alterada por meio de emenda Constitucional.