Gilmar Mendes diz que STF perdeu o senso do ridículo

 

Gilmar diz que um  grande número de pessoas  vivem do seu capital político. São citadas por delatores. Não se arquiva e não se pune. E as pessoas delatada ficam nas mãos dos procuradore e mal vistas pela opinião pública.

Ele cita que o Processo de FHC foi aberto, estando prescrito. Apenas para expor a imagem por interesses políticos.  Devemos lealdade a Constituição.  Supremo não deve lealdade a procuradoria.

Gilmar Mendes pede que  todos devem rezar para não se cometer injustiça, mas se  o Espírito Santo não atender a preçe, que pelo menos não permita que o STF perca o sendo do ridículo e diz:  “aqui (plenário do STF) claramente se perdeu o senso do ridículo”.

Deixar uma resposta