Governo passava informações privilegiadas para youtubers bolsonaristas

O inquérito das fake news  com 1.152 páginas, ao qual o Estadão teve acesso, revela que os membros do gabinete do ódio, recebiam informações privilegiadas de dentro do Palácio do Planalto. As informações eram usadas para monetizar os vídeos no yotuber com lucros milionários, pagos em dólar pelo Google Adsense.

Outubers lucravam até 100 mil por mês com informações do governo, do Gabinete do Ódio. Pagos p atuar na destruição de instituições democráticas, orientar na destruição da democracia. (Globonews)

Segunda franquia mais rentável entre os canais bolsonaristas, a Folha Política tinha 1,65 milhão de inscritos no início de março. Hoje está com  2,19 milhões, um salto de 32%. Proprietário do canal, Ernani Fernandes Barbosa Neto disse à PF ter faturado entre R$ 50 mil e R$ 100 mil por mês.

Já o Foco do Brasil contou com a ajuda de um funcionário da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) para obter, como se fosse uma emissora de televisão, as imagens de Bolsonaro e de eventos oficiais gerados pelo satélite Amazonas 3.

Anderson Rossi disse à PF que “recebeu as informações técnicas, de como acessar o satélite”,  do gerente de operações da rede pública, identificado por ele apenas como “Bill”. Rossi também relatou ter recebido, por meio de outro funcionário da TV Brasil, as senhas de acesso às imagens feitas pela emissora pública.