Incêndio e desabamento de prédio em SP – Ultimas noticias

 

“Famílias pagavam ALUGUEL no valor de R$150,00 a R$400,00 aos coordenadores do Movimento de Luta Social por Moradia (MLSM). Quem atrasava o pagamento, era expulso do local.
– O fornecimento de água só ocorria na madrugada, sob fiscalização dos coordenadores.
– Uma das regras da invasão era a proibição da entrada e saída de pessoas a partir das 19h. No local, havia um coordenador que trancava a porta principal do prédio. Um cárcere privado, basicamente.” (Bia Aragão via Facebook)

 

“Um homem veio fazer a reclamação oficial para a assistência social de que a sua mulher e dois filhos gêmeos que moravam no 8° andar estariam desaparecidos. Ele já procurou, já fez telefonemas. A assistência social está ajudando porque ela poderia ter sido transferida para outro albergue”, disse Palumbo. “No mais, não foram localizadas essas outras possíveis vítimas, então assimilaremos essas pessoas como desaparecidas em nossa ocorrência. Então passaremos a quatro vítimas no local”, afirmou o capitão.

49 PESSOAS QUE MORAVAM NO PRÉDIO NÃO SE APRESENTARAM.

 

Como começou o incêndio?

Relatos de moradores indicam que o fogo teve início no 5.º andar, por volta de 1h30, desta terça-feira, 1º, quando se ouviu um estrondo e o prédio teria sofrido um abalo. O desabamento do prédio ocorreu às 2h50. Agora pela manhã, o secretario da Segurança Pública, Mágino Alves, afirmou que o incêndio pode ter sido causado por um acidente doméstico, como explosão de uma panela de pressão ou botijão de gás.

Relatos dizem que o fogo começou no 5º andar, por volta da 1h30, e o desabamento ocorreu pouco mais de uma hora depois. O local era ocupado por mais de 300 pessoas.

Líder de movimento sem teto tem carro de 100 mil

Confundir o MTST com o MLSM é o mesmo que confundir CV com PCC, no final das contas é tudo crime.(Eduardo Bolsonro)

O Estado brasileiro é incapaz de ser proprietário de imóveis. Não sabe usar, nem conservar, nem vender e nem trancar a porta. O ex-prédio da PF que acaba de desabar em São Paulo estava em desuso há 17 anos, ninguém quis comprar e acabou invadido. A conta será paga por você. ( JR Guzzo)

DORIA: ‘Prédio que desabou foi invadido por facção criminosa.

 

Segundo reportagem do jornal Extra, os coordenadores do “Movimento” moravam no térreo do prédio. Quando o incêndio iniciou eles retiraram seus carros da garagem e fugiram.

Moradores de prédio que desabou pagavam até R$ 400 de aluguel a coordenadores  Movimento de Luta Social por Moradia (MLSM)A informação é de O Globo.

Os “responsáveis” pelo edifício chegaram a expulsar moradores que atrasavam ou não pagavam corretamente o aluguel.

Movimentos Sociais de sem teto cobrando aluguel de prédio público invadido

Em outras palavras, eles usam a miséria humana para explorar. Cobram aluguel de imóveis que eles não são proprietários

Esses movimentos vermelhos criados pelos esquerdistas comunistas EXPLORAM A MISÉRIA E USAM O DINHEIRO PARA FINS POLÍTICOS

O presidente Temer foi ao local do prédio incendiado em São Paulo e foi hostilizado pelos esquerdopatas.

Temer  foi vaiado por petistas anti patriotas que apoiam o maior ladrão desse país Lula Ø Ladrão.

“Eu não poderia deixar de vir aqui, sem embargo dessas manifestações, porque afinal eu estava em São Paulo, e ficaria muito mal eu não comparecer aqui para dar exatamente apoio àqueles que perderam, enfim, suas casas”, diz Temer

As moradias  não possuem higiene, tem banheiros coletivos e muita sujeira.

REPERCUSSÃO INTERNACIONAL

O jornal norte-americano The New York Times ressaltou que estrutura a qual desabou se tratava de uma instalação desativada da Polícia Federal ocupada ilegalmente. O periódico The Washington Post também destacou a notícia de que o prédio seria habitado por famílias em situação irregular.

A emissora CNN reportou o esforço do Corpo de Bombeiros mobilizado para conter o incêndio e o desabamento do prédio de 24 andares. A rede de televisão noticia que a 160 bombeiros e 57 veículos de resgate participam da operação.

Pergunta essencial, urgente, que precisa ser feita aos líderes dos movimentos sem-teto, inclusive ao pré-candidato a presidente Boulos: é prática comum cobrar aluguel dos abrigados nas ocupações de patrimônio alheio? Se não, já houve manifestação de repúdio contra a exploração?” ( Carlos Andreazza)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.