Por que Isaquias tem o apelido de "sem rim"?

O que faz um casal num casebre de três cômodos, sem tv, em Ubaitaba, uma cidadezinha distante 400 km de Salvador? Seis filhos!
A mãe, batalhadora, trabalhava o dia todo como servente na rodoviária e deixava os filhos maiores cuidando dos menores. Numa tarde, enquanto a menina de 6 anos preparava um chá pra curar a dor de barriga do irmão de 3 anos, ele esbarrou na panela com água fervente e ficou com quase todo o corpo queimado. Depois de um mês no hospital, a mãe perdeu a paciência e levou o menino pra casa.
O médico afirmou, sem pestanejar:
– Ele vai morrer.
– Vai não, doutor!
E não é que ela estava certa?
Aos 10 anos, tentando capturar uma cobra, ele despencou de uma árvore, caiu sobre uma pedra e perdeu um rim. A partir de então, passou a ser chamado de “Sem Rim” e gostou tanto do apelido que usa até hoje! (Vou dispensar meu comentário politicamente correto).
Antes que perdesse mais alguma coisa, a mãe enfiou o moleque num projeto social pra ele praticar esportes. Mesmo que não aprendesse nada, pelo menos ele ficaria inteiro até o final do dia.
Entre uma aula e outra, ele ajudava nas despesas da casa. Ficava na frente dos mercados, esperando que alguém pedisse pra entregar compras com seu carrinho de mão.
Mas o professor achou que ele levava jeito pra coisa, pediu ajuda pra um amigo que era gerente de banco e fez uma proposta irrecusável para o moleque: daria $ 50,00 por mês pra ele parar de fazer entregas e apenas treinar.
E deu certo: Isaquias Queiroz dos Santos, atleta da canoagem, acaba de se tornar o único brasileiro a subir três vezes no pódio numa mesma Olimpíada!
Campeão no esporte, campeão na vida! Toda minha admiração à você!
*Repassando*