João de Deus é acusado de chefiar organização criminosa

Ao acatar pedido de prisão preventiva por posse ilegal de arma e autorizar nova busca e apreensão em endereços de João de Deus, o juiz Liciomar Fernandes da Silva, da Comarca de Abadiânia (GO), alegou suspeitar da existência de uma máfia. “Ao que tudo indica, o médium chefia uma organização criminosa que atua principalmente na cidade”, pontuou. A decisão do magistrado foi expedida no dia 20 de dezembro.

Um dia depois, após cumprimento do mandado, os policiais civis de Goiás encontraram uma mala recheada com R$ 1,2 milhão em uma das casas do acusado em Abadiânia. Também foram recolhidos 770 euros e US$ 908 em um imóvel do médium em Anápolis (GO), bem como um revólver calibre .38, uma algema e centenas de pedras das mais variadas tonalidades. As novas buscas foram autorizadas pela Justiça em três endereços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.