Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Jornalista americano é morto na Ucrânia, diz chefe da polícia de Kiev

 

Um jornalista norte-americano foi morto a tiros por forças russas na cidade ucraniana de Irpin, na região de Kiev, e outro ficou ferido, informou o chefe da Polícia Regional de Kiev, Andriy Nyebytov, neste domingo (13).

Primeiro, Nyebytov disse que Brent Renaud trabalhava para o The New York Times, mas depois explicou que este já havia trabalhado para o jornal e que não estava mais no veículo. Segundo o Times, o jornalista tinha 51 anos.

“Estamos profundamente entristecidos em saber da morte de Brent Renaud. Brent era um talentoso fotógrafo e cineasta que contribuiu para o The New York Times ao longo dos anos”, disse o jornal, em comunicado publicado no Twitter por seu porta-voz.

“Embora ele tenha contribuído para o The Times no passado (mais recentemente em 2015), ele não estava atuando em nenhuma redação do The Times na Ucrânia”, afirmou.

“Os relatos iniciais de que ele trabalhava para o Times circularam porque ele estava usando um crachá de imprensa do jornal que havia sido emitido para uma tarefa de muitos anos atrás.”

Nyebytov disse que Renaud foi baleado pelas forças russas em Irpin, mas não deu mais detalhes do incidente. Ele também não identificou o jornalista ferido.

“Outro jornalista foi ferido. No momento, estamos tentando tirar a vítima da zona de combate”, disse Nyebytov em comunicado.

Documentarista e produtor de TV premiado, o americano Brent Renaud, morto nos arredores da capital da Ucrânia neste domingo (13), tinha experiência na cobertura de diversos conflitos pelo mundo.

Segundo seu perfil no Pulitzer Center, do qual foi bolsista, o jornalista de 50 anos já havia registrado as guerras do Iraque e do Afeganistão, os efeitos do terremoto do Haiti, a disputa entre cartéis de drogas no México e a revolta política no Egito, entre outras situações de risco.