Juízes trabalhistas divulgam notas criticando declaração do jurista Ives Gandra

O ex-presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST) Ives Gandra Martins Filho, defendendo a modernidade da reforma trabalhista afirmou em entrevista ao jornal Folha de São Paulo:

“Se esses magistrados continuarem se opondo à modernização das leis trabalhistas, eu temo pela Justiça do Trabalho. De hoje para amanhã, podem acabar com [a Justiça do Trabalho]”.

Durante o XIX Congresso Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (XIX CONAMAT), no último sábado (4/5), Ives Gandra foi declarado persona non grata à magistratura trabalhista.

A afirmação causou revolta entre os juízes trabalhistas e teve como consequência a publicação de duas cartas. A de Belo – Horizonte redigida no  19º CONAMAT (Congresso Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho) e a nota de repúdio publicada pela  Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho da 2ª Região – AMATRA-2,

Para ler a Carta de BH e a nota de repúdio, clique aqui