Jungmann: crimes eleitorais estão sendo investigados com "celeridade"

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse, nesta segunda-feira (22), que a Polícia Federal (PF) está comprometida com a celeridade das investigações sobre a propagação de fake news (notícias falsas) durante a campanha presidencial deste ano.

O ministro destacou que, para os crimes eleitorais serem investigados pela Polícia Federal, é preciso haver solicitação da Justiça Eleitoral. Daí a importância de os eleitores colaborarem enviando suspeitas e denúncias às autoridades competentes. Durante a reunião online feita com forças policiais de outros estados, Jungmann lembrou da novidade deste segundo turno, que é a possibilidade de os cidadãos registrarem possíveis irregularidades no processo de votação em tempo real.

“Da parte da Polícia Federal, há uma preocupação com a celeridade, mas é preciso ver a complexidade da denúncia e procurar sempre respeitar as normas legais e, obviamente, chegar a resultados que tenham solidez. No que diz respeito às chamadas fake news, todo cidadão que se sentir agredido por elas deve procurar a Justiça. Porém, é bom dizer que tem sido relativamente baixo essa solicitação”, disse.

Nas palavras de Jungmann, o prazo para concluir as investigações é o “tempo necessário” para que elas estejam “sólidas” e para que se possa ouvir todas as pessoas envolvidas. O ministro lembrou que, de uma forma geral, muitos crimes são investigados e concluídos após a disputa eleitoral.

O ministro Raul Jungmann disse esperar que as investigações corram no “mais breve espaço de tempo” para que sejam apresentadas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que decidirá sobre eventuais responsabilizações.

“Não há como receber uma solicitação que veio, por exemplo, no dia 20, um inquérito que efetivamente começou no dia 21, que envolve aparentemente um bom número de empresas. Lembre-se: são duas campanhas e um número realmente, acredito eu, também considerável de testemunhas e de provas que precisam ser recolhidas, e eu não posso aqui estabelecer o prazo em que isso vai se dar. Posso dizer que está se imprimindo o máximo de celeridade para se apresentar à Justiça Eleitoral”, afirmou.