Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Justiça autoriza entrevista de Adélio

O deputado federal Fernando Francischini, líder do PSL, protocolou, sem sucesso, pedido na 3ª Vara Federal em Juiz de Fora, com o objetivo de impedir que o autor do atentado contra o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL), Adelio Bispo de Oliveira, seja entrevistado pelo jornalista do SBT, Roberto Cabrini. O juiz federal Bruno Savino negou o pedido do deputado e que não existe motivo para negar o contato do investigado com a imprensa. No início da semana, o juiz deferiu o pedido feito por uma emissora de TV.
“Pois bem, uma vez que as próprias partes não se opõem à realização da entrevista, não há motivo para que este juízo impeça a realização do ato”, afirmou em seu parecer.

Qualuer informação dada pelo criminoso pode ser útil a investigação. Até mesmo se ele mentir e entrar em contradição. Quando alguém é preso, tem o direito de ficar calado até a presença do seu advogado. Por que? Porque o que é pronunciado pode ser usado contra ele. Qual é o medo do criminoso falar? Ele não é candidato. Não dará entrevista para fins eleitorais. Para quem deseja elucidar o crime. Tudo que ele passar de informação será útil .NÃO ENTENDO POR QUE OS BOLSONARISTAS TEMEM A ENTREVISTA.