MBL nega que os presos façam parte do movimento

MBL nega que os presos façam parte do movimento

Uma operação realizada nesta sexta-feira pela Polícia Civil, Ministério Público Estadual e Receita Federal apura lavagem de dinheiro em São Paulo. Segundo a nota do MP, duas pessoas supostamente  ligadas ao Movimento Brasil Livre (MBL) foram presas. Elas seriam investigadas por desvio de mais de R$ 400 milhões de empresas. O movimento nega que os detidos façam  parte do Movimento.

“Alessander Monaco Ferreira e Carlos Augusto de Moraes Afonso , conhecido por Luciano Ayan, não são integrantes e sequer fazem parte dos quadros do MBL. Ambos nunca foram membros do movimento.
Uma notícia veiculada de maneira errônea por um portal criou tal confusão”, afirmou  Kim Kataguiri.

A investigação é contra os empresários e não contra o MBL, mas eles tem ligações. Luciano já anunciou live com o nome do MBL no card.