Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Médico entra com ação contra CFM – Omissão no uso indevido de cloroquina e ivermectina

O cardiologista Bruno Caramelli, professor associado da Faculdade de Medicina da USP.  entrou com representação no MPF-SP, pedindo aos procuradores a abertura de inquérito “para apurar a responsabilidade civil, administrativa ou penal da diretoria do CFM” sobre a omissão do CFM que não se posiciona contra o uso de cloroquina e ivermectina, medicações não indicadas pela ciência, ANVISA, FDA, ABM, Sociedade brasileira  de infectologia e outras entidades médicas.

O presidente do CFM é claramente bolsonarista. A posição do CRM é de que o médico tem autonomia para receitar.

Acontece que essa autonomia PRECISA ESTÁ RESGUARDADA NA CIENCIA.

. Na peça jurídica, o médico classifica o posicionamento do conselho de “omisso e grave nas providências que lhe caberiam tomar contra a disseminação da falsa ideia de existência de tratamento precoce eficaz contra a covid-19”.