Medidas provisórias de Bolsonaro vão caducar no Congresso

Duas medidas provisórias (MPs) consideradas pelo presidente Jair Bolsonaro como importantes ações do seu governo vão perder a validade no mês que vem sem nem sequer passarem por análise do Congresso. As MPs precisariam ser aprovadas pelo Congresso até 16 de fevereiro,
os textos não passaram por nenhuma comissão, primeira etapa da análise de qualquer lei e não existe tempo para elas serem aprovadas

As medidas, que tratam da emissão de carteirinhas estudantis e da publicação de editais de licitações em jornais, são vistas por parlamentares como retaliação do governo  aos jornais e a UNE