Jorge Roriz – Jornalismo de Excelência

Mil anos de prisão para o homem que não quis delatar, confiando em Lula

Se Marcelo Odebrecht tivesse aceitado a delação premada, poderia estar solto. mas o amigo Lula prometeu que ele passaria pouco tempo na cadeia e Marcelo, decidiu não fazer delação.

 Matéria publicada neste sábado, 23 de janeiro, pelo jornal o Estado de São Paulo foi redigida e editada pelos jornalistas Fausto Macedo, Ricardo Brandt e Julia Affonso.

Nela, – alegações finais – os Procuradores Federais pedem a condenação à pena de prisão em “regime fechado” de Marcelo Odebrecht por corrupção ativa (56 vezes)- art. 333, Código Penal(pena 2 a 12 anos), lavagem de dinheiro (136 vezes) – Lei 9.613/1998, pena (3 a 10 anos) e organização criminosa – Lei nº 12.850 de 2/08/2013, (pena 3 a 8 anos) aumentada de 1/6 a 2/3 quando ocorrer cooptação de servidor público – .  O MPF afirma ao Juiz Federal Sérgio Moro que: ” Se querermos ter um país livre da corrupção, esse deve ser um crime de alto risco e firme punição, o que depende de uma atuação consistente do Poder Judiciário nesse sentido, afastando a timidez judiciária na aplicação das penas quando julgados casos que merecem punição significativa, como este”.

Em alegações finais, peça de 378 páginas, protocolada nesta sexta, 22, onze Procuradores da República que integram a força-tarefa da Operação lava jato, pedem, ainda, a condenação de outros executivos legados a Odebrecht..

Leia na íntegra 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.