Militantes jogam tinta vermelha em prédio de Cármen Lúcia

O prédio onde fica o apartamento da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, em Belo Horizonte, foi atacado na tarde desta sexta-feira (6) por manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e do Levante Popular da Juventudade. Tinta vermelha foi jogada na fachada do prédio.

De acordo com O Globo, não havia ninguém no apartamento no momento do protesto, já que Cármen está em Brasília, segundo sua assessoria de imprensa.

O ataque ocorreu no mesmo dia determinado pelo juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal, para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se entregue à Polícia Federal. Os dois movimentos compartilharam registros do protesto em suas páginas no Facebook.