MILITARES FORA DA LEI PRECISAM SER PUNIDOS

Reinaldo Azevedo, via Twitter:

Sim, é preciso prestar atenção ao q diz o cel. Fábio Augusto Vieira, ex-comandante da PM-DF, q está preso. Ele diz em depoimento, sem ambiguidades, q o Exército impediu duas vezes o desmanche dos acampamentos. Há general fazendo beicinho e dando “offs”a jornalistas — que se permitem o pleonasmo apenas aparente. Foi assim, como diz Fábio Augusto Vieira? Sim, eu sei, ele está se defendendo, e é natural que tente achar outros culpados. Mas o que diz pode fazer sentido ou não. E a minha impressão é a de que faz sentido, sim. Afinal, havia militares a defender uma GLO no DF. Palácios tomados, com GLO pondo ordem na bagunça, e teríamos o cheiro inequívoco de golpe de estado, ainda q se devolvesse depois o poder a Lula. Mas ficaria com cara de concessão dos “verdadeiros” donos do poder ao inquilino de turma. É PRECISO APURAR.

Em audiência de custódia, cel. Fábio Augusto Vieira, ex-comandante da PM-DF, disse q tudo apontava p/ um ato pacífico e negou conivência. Fato: alertas sobre risco de violência foram feitos. Mas nem entro nisso agora.
O q me incomoda nessa tentativa do coronel de livrar a cara é um absurdo de fundo, q ainda hj li na pena de um jornalista veterano: a suposição de q ocupar área pública p/ exigir golpe de estado ñ é, por si, crime grave. Já aí estão os crimes tipificados nos Artigos 286, 359-L e 359-M do Código Penal. Depredar é ainda mais grave? É, sim.

Além dos crimes citados, há outros. É preciso q se advirta tanto o coronel (e demais militares) como o jornalista (e alguns outros colegas de profissão) que inexiste o direito de se organizar para exigir golpe de estado. E tbem esse crime rende flagrante. E flagrante rende cana.