Moro confessa ilegalidade e entra em contradição

O Jornalista Reinaldo Azevedo, mostra claramente que o ex- ministro da Justiça, Sérgio Moro, fez uma confissão de crime, ao dizer que a unica condição que ele fez para assumir o cargo foi em caso dele falecer no exercício do cargo de ministro, a esposa dele recebesse uma pensão para compensar os anos que ele trabalhou na magistratura e abandonou ( porque quis) para ser ministro.
Também é mostrada a contradição de Moro que sempre dizia que não existia interferência do presidente na Polícia Federal ( declarou recentemente) e no pronunciamento informando o pedido de demissão, ele diz que havia por parte do presidente Bolsonaro, uma intervenção constante na Polícia federal.

“Pedi apenas que, já que nós íamos ser firmes contra a criminalidade, especialmente a criminalidade organizada, que é muito poderosa, que se algo me acontecesse, pedi que a minha família não ficasse desamparada sem uma pensão. Foi a única condição que eu coloquei para assumir essa posição específica no Ministério da Justiça”.

Depois das críticas ele disse que : “a concessão dependeria de lei nova”. Que nova lei? Ele nunca enviou e nem pediu para algum deputado federal, uma lei para a concessão desse benefício