MPF investiga interferência de Bolsonaro no Exército

o presidente Jair Bolsonaro entrou agora na mira do Ministério Público Federal (MPF) por indícios de violar a Constituição ao interferir em atos de exclusividade do Exército. Procuradores abriram dois procedimentos de investigação para apurar uma ordem dada por Bolsonaro ao Comando Logístico do Exército (Colog), no último dia 17, que revoga três portarias publicadas entre março e abril sobre monitoramento de armas e munições.

A informação é do jornal O Estado de São Paulo.

 

Uma das portarias foi a revogação do  monitoramento de armas e balas

A procuradora Raquel Branquinho escreveu:

“O Sr. Presidente viola a Constituição na medida em que impede a proteção de bem imprescindível ao cidadão, que é a segurança pública”.

Caso o Exército não apresente justificativas plausíveis, que não seja uma postagem do presidente no Twitter, tudo fica ainda mais grave”.